segunda-feira, 12 de junho de 2017

GALERIA DA CASA DO PAULO BRANQUINHO - EXPO "3 A UMA" ELMO MARTINS, JUNG WLADIMIR, MARCIO GOLDZWEIG E LINA RIVERA

Teresinha Mazzei 
apresenta 

"Possibilidades"

na 
Galeria da Casa do Paulo Branquinho

A artista visual capixaba Teresinha Mazzei apresenta a exposição “Possibilidades” na Galeria da Casa do Paulo Branquinho (Rua Moraes e Vale, 8 térreo, Lapa – RJ), até o dia 03 de novembro, com visitação de terça a sábado, de 15h às 19h, classificação etária livre e entrada franca.

Para sua primeira exposição individual no Rio de Janeiro, Teresinha apresentará uma série de obras inéditas e algumas que fazem parte do seu percurso artístico na pigmentação orgânica mineral e seus desdobramentos, onde vem atuando desde 1999.

“Possibilidades” reúne obras que mostram um conjunto de referências do universo pictórico orgânico mineral da artista: os guardados das técnicas e objetos garimpados na sua trajetória artística dentro do Ateliê em Vitória, no Espirito Santo.

Teresinha expõe obras que vem desenvolvendo a partir da pesquisa com pinturas orgânicas que dialogam diretamente com a natureza vegetal/mineral e suas particularidades onde a mesma explora a investigação desses elementos, como casca da árvore do mangue, flores e pedúnculos da mangueira mesclando com diversos minerais tais como barros, terras, minérios e carvão somando com folheação, limalha, fios de cobre, entre outros materiais, apresentando assim trabalhos em assemblages e esculturas também com itens da mangueira.

Paralelamente a sua pintura orgânica, Teresinha desenvolve a infoarte (composição fotográfica de imagens) na qual ela cria efeitos, proporcionados pela fotografia, recortando e formando com os detalhes deste resultado final colocados sob a interferência de mídias digitais, tecendo assim uma outra dimensão  no espaço de sua obra.
Serviço:
“Possibilidades”, de Teresinha Mazzei
Visitação: até 03 de novembro, de terça a sábado, de 15h às 19h
Local:  Galeria da Casa do Paulo Branquinho (Rua Moraes e Vale,  8 térreo,  Lapa- RJ)
Classificação indicativa: livre.
Entrada franca.






Crédito das fotos: Teresinha Mazzei


Att,
Chandra Santos
Whatsapp: 21 976 698 039
____________________________________________________________
 _____________________________________________________

Exposição coletiva "3 a Uma" inaugura na LAPA no próximo sábado (10)



No próximo sábado 1 de julho haverá o encerramento da exposição "3 a Uma" na galeria Casa do Paulo Branquinho, na LAPA. 
 fotos da vernissage neste outro link
 e abaixo o release falando sobre o trabalho de cada artista. 

Exposição coletiva "3 a Uma" encerra no próximo sábado (1)

A exposição “3 a Uma" está em cartaz na galeria da Casa do Paulo Branquinho até o próximo sábado (1). Com a participação dos artistas Elmo Martins, Jung Wladimyr, Márcio Goldzweig e Lina Rivera, a mostra dá ao visitante a oportunidade de conferir o resultado dos recentes trabalhos destes quatro artistas - que juntos mostram ao público um dialogo entre a imaginação, a cor, a matéria e o grafismo. A entrada é franca. A galeria Casa do Paulo Branquinho fica localizada no bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, na rua Morais e Vale, que já foi endereço de Chiquinha Gonzaga, Manuel Bandeira e Madame Satã. O espaço da galeria tem 80 metros quadrados e fica em uma charmosa casa de fachada de pedra construída em 1778.

Sobre os trabalhos de cada artista:

Elmo Martins
Trabalhando com técnicas e suportes variados, Elmo Martins aborda questões intrinsecamente relacionadas ao imaginário popular e à vida cotidiana. Em suas obras, relata a dualidade das relações, centrada na dicotomia do sagrado/profano. Retalha a vida no mundo Profano – gestos, pessoas, espaço e tempo – carregando-a de validades simbólicas para fortalecer a inter-relação e a invocação com o divino, buscando uma narrativa de comunhão de elementos sociais distintos. Acredita que o sagrado retamente entendido não difere do profano, mas funda-lhe o próprio sentido e revela, nessa coexistência, os fundamentos da vida. Ao refletir o olhar nessa direção descreve e interpreta, à luz de diferentes proposições simbólicas, narrativas e estéticas, a união de múltiplos interesses às contraposições da sociedade.”

Jung Wladimyr
..."A partir da necessidade de experimentar outros materiais, nascem as obras, denominadas por Jung Wladimyr de “Irregulares”, no início, mesmo com caráter experimental, estão impregnados de suas inquietudes no ato criador e originam uma consciência perceptiva pictórica diferenciada do habitual, policromáticas. São novos tons, mais terrosos com intervenções de novos elementos. Sua pintura torna-se monocromática e suas massas de tinta que configuravam tridimensionalidades sedem espaço ao fluídico, escorrido ao não espatulado. Ambas coexistem, são complementares e identificam-se com o Artista em sua obra sintetiza o todo e a parte que jamais podem dissociar-se imprimindo um caráter único e inesgotável do seu SER na busca da qualidade técnica e pictórica. Extrair e analisar as estruturas poéticas das obras de Jung é um desafio. A dialética da liberdade e das intenções no campo das articulações das possibilidades interpretativas, entre a desordem e as irregularidades sígnicas, bem como a desintegração e dissolução dos limites em explosões, impulsionam a reflexões infindáveis"... (Trecho do texto da Mestre em Artes – Translinguagens Artísticas e Culturais – Estética e Ecologia (PUCRS), Artista Plástica - Sonia Garcez)

Lina Rivera
Com formação eclética, a artista Lina Rivera aproveita os mais diversos materiais para dar forma à sua criatividade. Compondo assemblagens construídas de relatos de vida. Entre telas e espiguilhas, bordados, papeis, gaze e renda, o olhar de épocas passadas quase não cabe na mesa onde habita o caos de sua criatividade.
Texturas, cores e formas vão se entrelaçando e expressando algum sentido da vida, alguma historia que se representa através de fitas, botões, fios e trancelim... a magia das mãos inquietas vão gestando, dando luz e concretizando a fantasia de se transformar em arte.

Márcio Goldzweig
Nos desenhos, pinturas e xilogravuras de Márcio Goldzweig, o artista faz suas  criações utilizando elementos gráficos de caligrafias de várias culturas que se baseiam na beleza dos gestos e na dinâmica dos movimentos que compõem cada caligrama. A inspiração do universo criativo do artista tem raízes nos diplomas de formatura de sua escola secundária onde, contratado pela diretora, escrevia com bicos de pena os nomes dos formandos em letras góticas. Este exercício lhe propiciou conhecer a fundo os movimentos da escrita e a paixão por suas formas.


Serviço:
Exposição "3 a Uma"
Visitação: De 13 de junho a 01 de julho, de terça a sábado de 15 às 19h.
Casa do Paulo Branquinho – Rua Morais e Vale, 08, térreo - Lapa, Rio de Janeiro - RJ
Entrada franca. 

A galeria da Casa do Paulo Branquinho, abre para o público a partir de 10 de junho a exposição “3 a Uma”, com a participação dos artistas Elmo Martins, Jung Wladimyr, Márcio Goldzweig e Lina Rivera.
A exposição segue até dia 01 de julho e o visitante terá a oportunidade de conferir o resultado dos recentes trabalhos destes 4 artistas, que juntos mostram ao público um dialogo entre a imaginação, a cor, a matéria e o grafismo.
Trabalhando com técnicas e suportes variados, Elmo Martins aborda questões intrinsecamente relacionadas ao imaginário popular e à vida cotidiana. Em suas obras, relata a dualidade das relações, centrada na dicotomia do sagrado/profano. Retalha a vida no mundo Profano – gestos, pessoas, espaço e tempo – carregando-a de validades simbólicas para fortalecer a inter-relação e a invocação com o divino, buscando uma narrativa de comunhão de elementos sociais distintos. Acredita que o sagrado retamente entendido não difere do profano, mas funda-lhe o próprio sentido e revela, nessa coexistência, os fundamentos da vida. Ao refletir o olhar nessa direção descreve e interpreta, à luz de diferentes proposições simbólicas, narrativas e estéticas, a união de múltiplos interesses às contraposições da sociedade.”
..."A partir da necessidade de experimentar outros materiais, nascem as obras, denominadas por Jung Wladimyr de “Irregulares”, no início, mesmo com caráter experimental, estão impregnados de suas inquietudes no ato criador e originam uma consciência perceptiva pictórica diferenciada do habitual, policromáticas. São novos tons, mais terrosos com intervenções de novos elementos. Sua pintura torna-se monocromática e suas massas de tinta que configuravam tridimensionalidades sedem espaço ao fluídico, escorrido ao não espatulado. Ambas coexistem, são complementares e identificam-se com o Artista em sua obra sintetiza o todo e a parte que jamais podem dissociar-se imprimindo um caráter único e inesgotável do seu SER na busca da qualidade técnica e pictórica.
Extrair e analisar as estruturas poéticas das obras de Jung é um desafio. A dialética da liberdade e das intenções no campo das articulações das possibilidades interpretativas, entre a desordem e as irregularidades sígnicas, bem como a desintegração e dissolução dos limites em explosões, impulsionam a reflexões infindáveis"...
trecho do texto da Mestre em Artes – Translinguagens Artísticas e Culturais – Estética e Ecologia (PUCRS), Artista Plástica - Sonia Garcez
Com formação eclética, a artista Lina Rivera aproveita os mais diversos materiais para dar forma à sua criatividade. Compondo assemblagens construídas de relatos de vida.
Entre telas e espiguilhas, bordados, papeis gaze e renda, o olhar de épocas passadas quase não cabe na mesa onde habita o caos de sua criatividade.
Texturas, cores e formas vão se entrelaçando e expressando algum sentido da vida, alguma historia que se representa através de fitas, botões, fios e trancelim... a magia das mãos inquietas vão gestando, dando luz e concretizando a fantasia de se transformar em arte.
Nos desenhos, pinturas e xilogravuras de Mácio Goldzweig, o artista faz suas  criações utilizando elementos gráficos de caligrafias de várias culturas que se baseiam na beleza dos gestos e na dinâmica dos movimentos que compõem cada caligrama.
A inspiração do universo criativo do artista tem raízes nos diplomas de formatura de sua escola secundária onde, contratado pela diretora, escrevia com bicos de pena os nomes dos formandos em letras góticas. Este exercício lhe propiciou conhecer a fundo os movimentos da escrita e a paixão por suas formas.
Serviço:
Abertura: 10 de junho (sábado) de 16 às 21h.
Visitação: De 13 de junho a 01 de julho, de terça a sábado de 15 às 19h.

Casa do Paulo Branquinho
Rua Morais e Vale, 08, térreo - Lapa, Rio de Janeiro - RJ









____________________________________________________________


 _____________________________________________________

 CHANDRA SANTOS 
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
____________________________________________________________


 _____________________________________________________

 fale com nossa diretoria

LÍBANO MONTESANTI CALIL ATALLAH
DIRETOR DE IMAGEM PÚBLICA 

WWW.TVARTPONTO.COM

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

artponto.org@terra.com.br
______________________________________________________
______________________________________________________
Líbano Montesanti Calil Atallah